Maranho Cardans

Postado dia quarta, 03 de abril de 2019 às 10h03

Órgãos de segurança que atuam em Paranaguá vão trabalhar em conjunto para dar mais agilidade no atendimento aos caminhoneiros que chegam para descarregar no Porto. O grupo, convidado pela Administração dos Portos do Paraná, discute formas efetivas de combater assaltos, vazadas e crimes ambientais.

“Existe um conflito de competências, já que são diferentes jurisdições envolvidas. Na entrada da cidade, no trecho da BR 277, temos a Polícia Rodoviária Federal. Dentro da cidade, temos a Guarda Municipal e a Polícia Militar. Os crimes ambientais são fiscalizados pela Polícia Ambiental e, na área portuária, temos os agentes de segurança e a Guarda Portuária”, explica o diretor-presidente dos Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

A primeira reunião aconteceu ainda em fevereiro e, desde então, os agentes debatem metas e formas de ação conjuntas ou complementares. “O Governo do Estado está preocupado com a segurança destes motoristas, além de ordenar as operações portuárias para que elas fluam em plenitude. Para isso, é preciso reunir parceiros e somar esforços. Até então, cada um tinha ações isoladas”, diz o chefe da Unidade de Segurança Portuária, major César Kamakawa.

“O objetivo desta grande força de segurança não é discutir quem são responsáveis em cada caso, mas partilhar as responsabilidades. Os Portos querem otimizar o atendimento para que os usuários sejam beneficiados com a sincronia entre os órgãos”, acrescenta Kamakawa.

Parceiros

A Polícia Militar já adiantou que terá ações intensificadas em Paranaguá. “Com o fim da Operação Verão, nosso efetivo estará focado na cidade, em especial na segurança da comunidade”, afirma o tenente-coronel Marcos Rodrigues, comandante do 9º BPM.

Marcia Garcia, comandante da Guarda Civil Municipal, ressaltou a importância do trabalho em conjunto ao afirmar que o trabalho em prol da comunidade depende desta união de forças. “Nosso próximo passo é reunir as empresas e discutir com elas ações possíveis”, disse.

Também são parceiros: Polícia Ambiental, Marinha do Brasil, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal.

Cenário

Segundo a Associação Nacional de Transportes Rodoviários de Cargas e Logísticas (NTC), o Paraná responde por 3,8% dos roubos de cargas registrados em todo o país. O número é muito inferior aos de São Paulo e Rio de Janeiro que, juntos, respondem por 81% dos casos.

UASP

A Unidade de Segurança Portuária do Porto de Paranaguá atua na área do Porto Organizado, que compreende a Faixa Primária e Áreas Alfandegadas. São três inspetores, 80 guardas portuários e 21 agentes.

Fonte: Blog do Caminhoneiro